Histórico

Histórico e contextualização do Programa

O Programa de Pós-Graduação em Estudo de Linguagens/PPGEL, vinculado ao Departamento de Ciências Humanas do Campus I/Salvador/Bahia, da Universidade do Estado da Bahia, recomendado pela CAPES (Ofício N◦ 602-11/2005/CTC/CAPES–19/09/2005), foi implantado em 2006. O Programa oferece o Curso de Mestrado em Estudo de Linguagens, na modalidade acadêmico, com 20 vagas, preenchidas anualmente através do Processo de Seleção Pública para Aluno Regular, divulgado em Edital público no Diário Oficial do estado da Bahia.

O Programa estrutura-se em uma Área de Concentração, “Linguagens: práticas e contextos”, à qual se articulam 02 Linhas de Pesquisa: 1) Leitura, Literatura e Identidades; 2) Linguagens, Discurso e Sociedade, sendo destinadas 10 vagas a cada uma delas. A partir de seus pressupostos teóricos específicos, tais Linhas se propõem a uma reflexão acerca da pluralidade de linguagens, pelo entendimento de que isso é uma exigência para a formação docente na área de Letras e a prática do ensino. A proposta investigativa da Área de Concentração eleita privilegia o estudo das práticas de linguagens, em seus diferentes contextos, que se constituem em experiências, significados e valores de identidades que se expressam, sobretudo, às margens da cultura dominante.

A proposta de criação do PPGEL emerge do histórico da UNEB, instituição criada em 1983 e com autorização de funcionamento em 1986, competindo-lhe, por definição legal, levar o ensino superior a regiões do interior do estado da Bahia e assumir a formação de professores para o ensino fundamental e médio, marcando, assim, a sua inserção social no âmbito regional. Estruturada sob forma multicampi, essa IES está presente em 24 municípios do Estado, com sede em Salvador. São 24 campi, 01 na capital e 23 no interior do estado, nas diferentes microrregiões, abrangendo distâncias que variam de 100 a 850 km da Administração Central, que fica na capital baiana. Em tais campi estão distribuídos 16 Cursos de Licenciatura em Letras. Sempre acompanhando as demandas sociais, a UNEB assume ainda outras formas de intervenção na educação da Bahia, firmando parcerias com a Secretaria de Educação do estado e as de diversos municípios, em programas de formação de professores que atuam na Educação Básica, e com o governo federal, a exemplo do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária/PRONERA e do Programa de Formação de Professores/PARFOR/Plataforma Freire.

Em âmbito regional, a inserção social do PPGEL reflete a multicampia da instituição, identificada já no perfil de candidatos ao processo seletivo para aluno regular, quando se inscrevem graduados oriundos dos campi do interior do estado, instalados em regiões carentes do sistema de ensino de pós-graduação. Ampliando a sua inserção social, o PPGEL, desde a sua implantação e seguindo a política de ações afirmativas da UNEB, em seu edital reserva 40% das vagas a candidatos que se declararem negros, conforme estabelecido na Resolução do Conselho Universitário/CONSU/UNEB, n◦ 196/2002, atualizada nas Resoluções CONSU/UNEB n◦ 468/2007, n◦ 710/2009 e nº 711/2009. Sobre o quantitativo de vagas ofertadas no processo de seleção para Aluno Regular ainda incide, nos termos das Resoluções CONSU/UNEB nº. 468/2007 e nº 847/2011, um percentual de 10% de sobrevagas, reservado a candidatos indígenas que especifiquem a comunidade étnica a que pertencem e comprovem a sua vinculação étnica através de declaração expedida por organização indígena devidamente reconhecida. Em ambas as modalidades de reserva, exige-se que os candidatos tenham cursado todo o 2º ciclo do Ensino Fundamental (de 5ª à 8ª série) e todo o Ensino Médio em Escola Pública e apresentem renda bruta familiar mensal inferior ou igual a 04 salários mínimos, comprovada mediante a apresentação dos documentos. Ampliando o compromisso de inserção social, o PPGEL reservou, para o processo seletivo de Aluno Regular de 2017, 10% do total das vagas para professores da Educação Básica. Além da seleção para Aluno Regular, ocorre, a cada semestre, uma seleção para Aluno especial, com vagas nas disciplinas optativas do curso, também com divulgação no Diário Oficial do estado, no site da Universidade e do Programa.

Em âmbito nacional, a inserção social do PPGEL se destaca com intercâmbios interinstitucionais relevantes no quadriênio, através de acordos de cooperação, a exemplo da parceria entre UNEB/PPGEL e UFMG/POSLIN, do convênio PROCAD/CAPES com o PPG Literatura, Cultura e Contemporaneidade/PUC-RIO, IES promotora, e as equipes associadas PPG Estudos Literários/PUC-GO e PPG Estudos Literários/UEFS/BA. Ainda no quadriênio, integrou-se, como associada, ao Programa de Altos Estudos/CAPES/Professor Visitante, em uma rede com programas nacionais e um latino-americano, e iniciou um intercâmbio internacional com o Centro de Literatura e Culturas Lusófonas e Europeias/CLEPUL/Faculdade de Letras/Universidade de Lisboa. Em 2014, foi encerrado o Programa DINTER/CAPES com a PUC-RS, iniciado em 2010, o qual conferiu o título de doutor a 20 docentes da UNEB. Ainda com a PUC-RS, foi firmado um PROCAD/CAPES, entre 2008-2012.

Com participação em grupos certificados de pesquisa, os docentes permanentes mantêm-se atuantes no ensino, orientação e pesquisa, desenvolvendo projetos filiados às suas Linhas de Pesquisa, resultando em produções que asseguram uma coerência na proposta do Programa. Além disso, buscando sua atualização, um percentual significativo de professores realizou o estágio pós-doutoral (acima de 50%), boa parte, pelo acordo de cooperação PROCAD/PUC-Rio e PROCAD/PUC-RS. Os docentes têm marcado uma atuação expressiva fora do âmbito do Programa, com participação em eventos acadêmicos relevantes e como membros de associações ou sociedades científicas.

Objetivos (geral e específicos)

O Programa tem por objetivos fornecer subsídios à formação do professor do Ensino Superior, a partir das contribuições do estudo de linguagens, e propiciar condições ao planejamento e realização de investigações nessa área, com vistas a preparar pesquisadores.

Perfil do egresso

O perfil dos egressos é o de um profissional e pesquisador que, a partir dos objetivos propostos pelo Programa, domine criticamente os fundamentos teóricos da área de linguagens, em respostas aos desafios lançados pelas proposições de suas Linhas de Pesquisa. Esse profissional deverá estar apto a dar continuidade às pesquisas e capacitado a atuar no ensino, na Educação Básica ou em nível superior. Como se pode constatar, um número considerável de dissertações defendidas trata especificamente de questões de interesse da Educação Básica, a exemplo de usos da língua nos espaços formais de educação, ensino de língua estrangeira, práticas escolarizadas de leitura e ensino de literatura, acenando a possibilidade de futuras publicações que sirvam como material didático a ser distribuído junto à rede pública de ensino. Destacam-se ainda, no conjunto das dissertações, estudos imprescindíveis à formação docente, ainda que não trate diretamente do ensino, mas relevantes ao entendimento do contexto contemporâneo, o que se espera em uma formação: falas populares, topônimos, práticas sociais de escrita, formações discursivas, processos retóricos e argumentativos, linguagens em contextos digitais, novos gêneros textuais, linguagens verbais e não-verbais, produções literárias e artísticas emergentes, novas identidades, práticas de leitura e recepção, mídias e interseção entre literatura e tecnologias de informação e comunicação. Tais trabalhos apresentam abordagens articuladas às proposições teóricas e conceituais das Linhas de Pesquisa.